Parceria com a UNESCO e a ABC impulsiona ações em Suape

Imprimir


Iniciativa prevê o desenvolvimento de planos estratégicos nas áreas cultural, social, ambiental e educacional para atendimento das populações que residem no território


O governador Paulo Câmara anunciou, segunda-feira (14.03), mais uma medida que alinha o desenvolvimento econômico ao sustentável no Complexo Industrial Portuário de Suape. Trata-se do incremento das ações do "Pacto por Suape Sustentável", através da assinatura de um acordo de cooperação técnica entre o Governo do Estado, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e a Agência Brasileira de Cooperação (ABC) do Ministério das Relações Exteriores. Essa parceria desenvolverá projetos socioambientais que vão ampliar a capacidade de gestão das iniciativas nesta área. Nessa primeira etapa, o programa estadual contemplará a requalificação do parque Armando Holanda Cavalcanti, no Cabo de Santo Agostinho, outro município da RMR que faz fronteira com o Complexo. Foram destinados R$ 1,2 milhão para a execução do projeto que vai durar 24 meses.

Ao destacar a importância dessa parceria, o chefe do Executivo estadual pontuou a preocupação de Pernambuco com a compensação ambiental. "Nós estamos, mais uma vez, dando um passo concreto no fortalecimento da sustentabilidade no nosso Estado. Já tínhamos uma preocupação para que esse desenvolvimento econômico que o ocorreu nos últimos anos fosse acompanhado da garantia de políticas sociais e um meio ambiente protegido", destacou Paulo. "Suape tomou todas as precauções para que chegássemos a esse momento, a partir de toda a compensação ambiental feita nos últimos anos", completou. 

O Pacto prevê o desenvolvimento de planos estratégicos nas áreas cultural, social, ambiental e educacional para atendimento das populações que residem no território. Antes de iniciar as atividades propostas no projeto, as equipes envolvidas vão realizar um diagnóstico completo do Complexo e de seu entorno. Estão entre as prioridades da parceria a sistematização de estudos de vulnerabilidade social, a elaboração de um plano para solucionar as fragilidades ambientais, além da capacitação das equipes técnicas de Suape e dos municípios do Cabo de Santo Agostinho e Ipojuca.

Esse acordo de cooperação internacional vai dar um novo ânimo aos trabalho do 'Pacto por Suape Sustentável', que foi criado em 2011. Para o secretário de Desenvolvimento Econômico, Thiago Norões, o diagnóstico da ferramenta desde a sua implantação possibilitou a tomada de novas decisões. "Além das ações de educação, segurança e mobilidade, temos iniciativas mais difusas que tocam a necessidade do resgate do patrimônio histórico e ambiental que temos naquela região", sublinhou o secretário estadual, citando como exemplo ainda a Praia de Calhetas e o seu entorno. A partir da formalização desse acordo, a entidade internacional vai destinar uma equipe para coordenar as ações.

Considerado uma parceira estratégica, a UNESCO vai agregar o seu arcabouço teórico e de consultores nas áreas alcançadas pelo projeto, possibilitando a elaboração de planos inovadores para intervenção no território. Para o oficial do programa de Ciências Humanas e Sociais da instituição internacional, Fábio Eon, empreendimentos de grande porte geram diferentes impactos e demandam respostas sociais e sustentáveis. "A nossa contribuição é tentar ajudar o Governo do Estado no sentido de incrementar ações que minimizam esses impactos. Temos uma relação quase afetiva com Pernambuco. O Estado sempre foi um laboratório especial para a UNESCO e já exportou muitas iniciativas de sucesso, a exemplo do programa Escola Aberta, que hoje está inclusa na política nacional de educação", lembrou Eon.

Também estiveram presentes o coordenador geral da Agência Brasileira de Cooperação, Márcio Correia; a coordenadora do setor de Cultura da UNESCO, Patrícia Reis; o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Sérgio Xavier; e a presidente da Agência Estadual do Meio Ambiente (CPRH), Simone Souza.

PILOTO - O primeiro contemplado pela parceria será o parque Armando Holanda Cavalcanti, no Cabo de Santo Agostinho, também na RMR. Criado em 1979, através de Decreto Estadual, o equipamento é uma área de Proteção Histórica e Cultural tombada pelo Governo do Estado.  Segundo o planejamento prévio, a estrutura concentra características que demandam ações em todas as áreas previstas no projeto. Aproximadamente duas mil pessoas que residem no entorno serão favorecidas com o programa.

"A requalificação desse equipamento público será a primeira de uma série de iniciativas que vamos proporcionar nesse sentido. O local contém amplas áreas de preservação história e ambiental que precisam ser recuperadas e entregues à população. Nós sabemos que ainda há muito a ser feito, mas estamos trabalhando nessa questão", afirmou o governador.

 

Fonte: Secretaria de Imprensa/ Governo de PE