Seu navegador não suporta java script, alguns recursos estarão limitados. Histórico - Suape

Histórico

  • Década de 60 – Estudos começaram a ser realizados para analisar a viabilidade da implantação de um “super-porto” destinado à exportação e à instalação de indústrias no seu entorno. A ideia era criar um porto para que ele gerasse demanda e não apenas atendesse à demanda já existente na região.

  • Década de 70 – A concepção de Suape originou-se no moderno conceito de integração porto-indústria, já existente no Porto de Marseille-Fos, na França e de Kashima, no Japão.

  • A escolha da região de Suape para localização do porto se deu pelas seguintes condições: águas profundas junto à linha da costa, com cerca de 17 metros a cerca de 1,2 quilômetros do cordão de arrecifes; Quebra-mar natural formado pelos arrecifes; extensa área para implantação de um parque industrial; distância da movimentação metropolitana da cidade do Recife.

  • A partir de 1973, começou a ser elaborado o plano diretor para a implantação do complexo industrial e portuário, integrando extensa área para indústrias e serviços de apoio ao porto marítimo;

  • Em 1974 foi lançada a Pedra Fundamental do Porto de Suape no governo de Eraldo Gueiros Leite;

  • Em 1976, foi criado um grupo interministerial com a finalidade de examinar a viabilidade técnica, econômica e financeira do projeto. Com a conclusão desses estudos, em 1977, tiveram início os primeiros serviços e a desapropriação de cerca de 13,5 mil hectares de terras. Após essa fase, foram iniciadas as obras de infraestrutura portuária, sistema viário interno, abastecimento de água, energia elétrica e telecomunicações;

  • Em 7 de novembro de 1978, por meio da Lei Estadual nº. 7.763, criou-se a empresa SUAPE – Complexo Industrial Portuário, com a finalidade de administrar a implantação do distrito industrial, o desenvolvimento das obras e a exploração das atividades portuárias.

  • Em 1983, Porto de Suape começou a operar, efetivamente, através da movimentação de álcool pela Petrobrás, que utilizou o recém-inaugurado Píer de Granéis Líquidos, o PGL – 1. Para realizar o armazenamento do combustível, a Petrobrás instalou na área portuária 4 tanques de 5 mil m³ cada um;

  • No ano de 1984 foi construído o molhe, em pedras, para proteção da entrada do porto interno, aberta no cordão de arrecifes;

  • Em 1986, após um incêndio de um navio de combustível no Porto do Recife, terminal que atendia ao Estado desde 1918, o então governador de Pernambuco, Roberto Magalhães, ordenou que as empresas de combustíveis que estavam instaladas naquele local viessem para Suape. O que era apenas um projeto, com o incidente, foi acelerado. Das mais conhecidas, a BR Distribuidora, a Shell, a Texaco e a Esso começaram a formar em Suape o “Pool de Derivados de Petróleo”;

  • Ainda no ano de 1986, devido a necessidade de desembarque de outros tipos de cargas, além de combustíveis, iniciou-se a construção do Cais de Múltiplos Usos, o CMU. Através deste berço poderiam ser movimentados contêineres e granéis sólidos.

  • Em 1991 o Cais de Múltiplos Usos começa a operar e o Porto de Suape foi incluído na lista dos 11 portos prioritários do Brasil, para os quais se deveriam direcionar os recursos públicos federais de investimentos em infraestrutura portuária. A partir de então, Suape deixou de ser apenas um porto industrial para se tornar um porto concentrador de carga de uso público, aliado à grande profundidade junto à costa, há 1,2 quilômetro do cordão dos arrecifes. Os contêineres começaram a chegar em Suape e realizar a movimentação nesse mesmo cais;

  • No ano de 1996, Suape foi incluído no Programa Brasil em Ação, contando com apoio financeiro do Governo Federal para a implantação da primeira etapa de seu porto interno;

  • Em 1999, a construção do porto interno foi concluída, com 925 metros de novos cais acessados por uma abertura na linha de arrecifes, com 300m de largura e 15,5m de profundidade.

  • O Píer de Granéis Líquidos 2, ou PGL-2, começou a ser construído em 2000 e no ano seguinte foi inaugurado;

  • Em 2001, foi iniciada a construção da segunda etapa do porto interno com a dragagem de mais de 1 milhão e 300 mil m³ de areia, estendendo o canal de navegação em mais 450 metros, onde seria construído o cais 4, com 330 metros. Ainda nesse mesmo ano, os cais 2 e 3 do porto interno foram arrendados pela empresa Tecon Suape;

  • Para atender à expansão da zona portuária e ao aumento significativo da movimentação de cargas, deu-se início à execução da duplicação da Avenida Portuária, com extensão de 4,4 quilômetros em 2002. Ainda para atender às necessidades da expansão da Zona Portuária, também foi iniciada a construção do primeiro Prédio da Central de Operações Portuárias, que abrigaria as autoridades portuárias operantes em Suape;

  • Em 2003, o Porto de Suape recebeu da Food and Drug Administration (FDA), vinculada ao governo dos Estados Unidos da América, um certificado internacional que atesta o  atendimento às medidas da lei contra o bioterrorismo;

  • O Centro de Treinamento do Complexo de Suape foi inaugurado em 2004, com o intuito de promover a inclusão educacional para os moradores do entorno de Suape e para funcionários do complexo;

  • Em 2005, é lançada a pedra fundamental da Refinaria General José Ignácio Abreu e Lima. Após cerca de 50 anos de lutas, a refinaria chega a Pernambuco;

  • A empresa italiana Mossi & Ghisolf foi inaugurada em 2006. A M&G opera cinco unidades industriais no Brasil, distribuídas em três estados: São Paulo, Minas Gerais e Pernambuco;

  • O Estaleiro Atlântico Sul foi inaugurado em 2008, sendo o primeiro empreendimento do Polo Naval de Suape;

  • O Cais 5 foi inaugurado em 2009. Com 343 metros de comprimento, este cais movimenta, principalmente, cargas gerais e granéis sólidos;

  • A empresa espanhola do grupo Gonvarri, GRI Towers, chegou em 2009 para produzir torres eólicas;

  • Uma das principais empresas de agronegócio e alimentos, a Bunge foi inaugurada em no Porto de Suape em 2009, com cerca de R$ 196 milhões em investimentos.

  • A Campari, fábrica de 32 mil metros quadrados, foi construída em 2010 no Complexo de Suape em substituição à planta localizada em Jaboatão dos Guararapes;

  • Em 2010, a administração do Complexo Industrial Portuário de Suape realizou o seu primeiro concurso público;

  • O Plano Diretor Suape 2030 entrou em vigor em setembro de 2011 com o objetivo de ordenar o crescimento do Complexo Industrial Portuário de Suape. O novo plano organizou as Zonas Industriais (ZIs) e ampliou a Zona de Proteção Ecológica (ZPEC) de 46% para 59% de extensão;

  • Durante o ano de 2012, houve a inauguração das empresas Pernambuco Industrial, Indústria Brasileira de Gases (IBG) e Amcor. Em maio, foi entregue o primeiro navio petroleiro construído em Suape, pelo Estaleiro Atlântico Sul, o João Cândido, e em junho, foi entregue a duplicação da rodovia PE-60 e os três viadutos construídos, na altura do quilômetro dez;

  • No início de 2013, a administração do Suape inaugurou, o primeiro assentamento rural, denominado Valdir Ximenes, e que está situado no município de Barreiros, na Mata Sul do Estado. Atualmente, 126 famílias moram na área de 1,1 mil hectares, com lotes de 5 hectares para cada uma;

  • Em 2013 o Porto de Suape concluiu duas importantes obras de infraestrutura que foram o reforço dos cabeços Norte e Sul e a requalificação do Cais de Múltiplos Usos (CMU), estratégico no escoamento de cargas;

  • O Estaleiro Vard Promar, o segundo empreendimento do Polo Naval de Suape, foi inaugurado em junho de 2013. Além do Estaleiro, houve ainda a inauguração da empresa LM Wind Power e da planta de PTA da Petroquímica Suape;

  • No dia 8 de novembro de 2013, o Porto de Suape realizou a primeira movimentação de carga de petróleo bruto, preparando-se para atender às necessidades da Refinaria Abreu e Lima. Os Píeres de Granéis de Líquidos 3A e 3B, que recebem os navios petroleiros da Refinaria, entraram em operação em agosto do mesmo ano;

  • Em janeiro de 2014, iniciou a operação do complexo viário administrado pela Concessionária Rota do Atlântico, com 43 quilômetros de extensão, que dá acesso a Suape e às praias do Litoral Sul de Pernambuco. Também em 2014, a Aguilar y Salas inaugurou a sua fábrica de trocadores de calor, reatores e tanques no Complexo de Suape;

  • Em fevereiro de 2014, foi inaugurada a fábrica Cristal Pet. Em julho, foi iniciada a construção da fábrica da GRI Flanges, produtora de flanges eólicas e, em agosto, entrou em operação a primeira linha de PET da Petroquímica Suape;

  • O primeiro habitacional construído pela administração do Complexo Industrial Portuário de Suape foi entregue, em março de 2014, às 75 famílias que moravam na Ilha de Tatuoca. Nomeado Habitacional Vila Nova Tatuoca, o loteamento conta com parque infantil, galpão multiuso e campo de futebol;

  • O Porto de Suape realizou, em abril de 2014, sua primeira operação para o Entreposto da Zona Franca de Manaus (EZFM) em Pernambuco, instalado no município de Ipojuca. O EZFM em Pernambuco é o primeiro no Nordeste e o terceiro em operação no Brasil;

  • Em 2014, o Complexo de Suape ganhou um novo porto seco, ampliando sua área destinada à importação e à exportação de mercadorias. A área alfandegada, localizada às margens da PE-60, foi construída pela Wilson Sons Logística;

  • A Refinaria Abreu e Lima iniciou a operação do primeiro trem de refino em novembro de 2014;

  • Em 2014, foram concluídas as obras do novo Pátio Público de Veículos, com área de 15 hectares e capacidade estática de armazenagem de 6.504 vagas;

  • Em 2015, foi concluído o acesso rodoviário à Ilha de Tatuoca, onde estão localizados os estaleiros;

  • A empresa italiana Decal Brasil iniciou a produção de gasolina, em sua planta formuladora no terminal de armazenamento de combustíveis no Porto de Suape em abril de 2015;

  • Durante a 21ª Intermodal South America, em abril de 2015, o Porto de Suape firmou um protocolo de intenções com o Porto de Miami para aumentar a movimentação de cargas entre os dois portos e ampliar a atividade de cabotagem;

  • Em maio de 2015, foi realizado o sorteio dos lotes do Assentamento Sacambu, criado pela administração de Suape com 457 hectares, divididos em 51 lotes com 5 hectares cada, localizado no município do Cabo de Santo Agostinho. As famílias reassentadas moravam na área conhecida como Fazenda dos Trabalhadores;

  • A Shineray do Brasil S/A inaugurou em Suape, em junho de 2015, a primeira fábrica fora da China e a única de motocicletas no Brasil fora da Zona Franca de Manaus;

  • O Porto de Suape fechou o ano de 2015 na liderança de granéis líquidos entre os 37 portos públicos do país, com 14,24 milhões de toneladas;

  • Outro marco de 2015 foi a maior movimentação em cabotagem entre todos os portos públicos do Brasil. Suape bateu o recorde com 13,31 milhões de toneladas de cargas na navegação entre os portos situados na costa brasileira;

  • No primeiro semestre de 2015, a empresa de transporte e logística Tegma inaugurou sua unidade na Zona Industrial de Suape e a Pepsico ampliou sua fábrica de salgadinhos. No segundo semestre, ocorreram as inaugurações da Frompet e do Centro de Distribuição da Toyota do Brasil;

  • A Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e Cultura (UNESCO) e a Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores (ABC/MRE) assinaram acordo de cooperação técnica entre as três entidades para realizar o Projeto “Pacto por Suape Sustentável” em fevereiro de 2016;

  • Em 2016, algumas empresas passaram a utilizar o Porto de Suape como porta de entrada ou saída de seus insumos ou produtos. A Bosch começou a utilizar o Porto de Suape, em junho, para importar todos os produtos que chegam com destino ao novo Centro de Distribuição da empresa instalado no Cone Multimodal, no Cabo de Santo Agostinho.  Já em 1º de agosto, a Bic Brasil inaugurou o novo Centro de Distribuição, instalado no Entreposto da Zona Franca de Manaus (EZFM) em Pernambuco;

  • Em outubro de 2016, a Bemis, companhia americana do mercado de embalagens, inaugurou a expansão da sua unidade industrial no Complexo de Suape.

Contato

Km 10, Rodovia PE-60

Ipojuca - PE - Brasil

CEP: 55.590-000

PABX: +55 (81) 3527-5000

FAX: +55 (81) 3527-5066

Ouvidoria

Tel: +55 (81) 3527-5000

ouvidoria@suape.pe.gov.br

Redes Sociais

social social social social social

Links Úteis

antac acesso
logo 3